Ilustração Natalina

Ho ho ho… !!!

Criação e vetorização por Jonas Honorato

Happy Halloween

Make, foto e edição por Jonas Honorato

Dia da paixão nacional

19 de julho o dia da paixão nacional, o “Futebol”.

Escolhemos algumas fotos que ilustram a realidade do cenário do futebol brasileiro nos momentos de alegria e de decepção.

Fonte: Goggle Imagens.

O futebol, no Brasil, é o principal esporte do país. Foi introduzido por Charles Miller, um jovem brasileiro que, após viagem pela Inglaterra, trouxe consigo duas bolas de futebol e passou a tentar converter a comunidade de expatriados britânicos da cidade de São Paulo de jogadores decríquete para futebolistas, criando um clube de futebol no Brasil.

O futebol rapidamente se tornou uma paixão para os brasileiros, que frequentemente referem-se ao país como “a pátria de chuteiras” ou o “país do futebol”. Segundo pesquisa feita pela Fundação Getúlio Vargas, o futebol movimenta R$ 16 bilhões por ano, tendo trinta milhões de praticantes (aproximadamente 16% da população total), 800 clubes profissionais, 13 mil times amadores e 11 mil atletas federados.

Fonte: Wikipédia.

Dia Nacional do Livro Infantil: dia 18 de Abril, data que homenageia o escritor Monteiro Lobato

“A vida, Senhor Visconde, é um pisca-pisca. A gente nasce, isto é, começa a piscar. Quem pára de piscar, chegou ao fim, morreu. Piscar é abrir e fechar os olhos – viver é isso. É um dorme-e-acorda, dorme-e-acorda, até que dorme e não acorda mais. A vida das gentes neste mundo, senhor sabugo, é isso. Um rosário de piscadas. Cada pisco é um dia. Pisca e mama. Pisca e anda. Pisca e brinca. Pisca e estuda. Pisca e ama. Pisca e cria filhos. Pisca e geme os reumatismos. Por fim, pisca pela última vez e morre.

– E depois que morre – perguntou o Visconde.

– Depois que morre, vira hipótese. É ou não é?” (Monteiro Lobato)

—————————————————————————————————————————————————

Dia 18 de abril é o dia do nascimento de José Bento Renato Monteiro Lobato, escritor responsável por criar a Literatura Brasileira feita para Crianças. Ele foi um dos maiores escritores brasileiros do séc. XX, nasceu em Taubaté no estado de São Paulo, em 18 de abril de 1882 e faleceu  em 04 de julho de 1948.

E diante dessa homenagem é impossível falar de Monteiro Lobato e não lembrar  da turma do “Sítio do Pica-Pau Amarelo”, da boneca de pano Emília, o Visconde de Sabugosa,  Pedrinho e Narizinho, Tia Nastácia, Dona Benta dentre outros personagens; literatura essa que inclusive ganhou versões para a TV. Adaptado pela escritora Tatiana Berlink, o “Sítio” ficou no ar, na TV Tupi, durante 12 anos, onde em meado da década de 80 a Rede Globo (com TV colorida) transmitiu o programa.

O primeiro livro infantil deste escritor brasileiro foi A Menina do Narizinho Arrebitado, de 1920. A partir dele surgiram a série de aventuras que começam com Reinações de Narizinho e que levam até hoje milhares de leitores a uma viagem ao mesmo tempo por reinos encantados e deliciosas histórias de quintal.

Monteiro Lobato é um pré-modernista graças a duas características fundamentais em suas obras, como: a denúncia da realidade brasileira e o regionalismo. Atuando como regionalista, exibe-se o Brasil rural, como o Vale do Paraíba do interior de São Paulo no início do século XX, assim dando ênfase aos sentimentos, tons satíricos, patéticos costumes, irônicos, a decadência e características de sua gente, e ao passar o período áureo da economia cafeeira.

Eis aqui algumas de suas obras literárias:

Coleção Sítio do Picapau Amarelo 

Livros para adultos

No decorrer de seus livros, o escritor contou, com seu modo descontraído e saboroso, fatos mitológicos, políticos, sociais, históricos, científicos; ensinou matemática, português, geografia, astronomia. E mesmo escrevendo para crianças, manteve o estilo da sua obra para adultos – claro e objetivo.

Ele criou um mundo de faz-de-conta, onde realidade e sonho não tinham fronteiras definidas… Afinal o que seria da nossa Literatura sem Monteiro Lobato… Dia digno dessa Homenagem!

Vida e biografia desse ilustre escritor:

http://lobato.globo.com/index.asp

http://pt.wikipedia.org/wiki/Monteiro_Lobato


Dia Nacional da Poesia

A palavra “poesia” tem origem grega e significa “criação”. É definida como a arte de escrever em versos, com o poder de modificar a realidade, segundo a percepção do artista.

Poesia é uma forma de se expressar e transmitir sentimentos, emoções e pensamentos. Antigamente, as poesias eram cantadas, acompanhadas pela lira.

Hoje é considerado e comemorado o dia Nacional da Poesia, que não por acaso, coincide com a comemoração do nascimento do nosso grande escritor e poeta do romantismo, o baiano Castro Alves nascido em 14 de Março de 1847. Autor de obras como o “Navio Negreiro” e “Espumas FLutuantes”, cujas características principais são a valorização do amor e a luta por liberdade e justiça.

A poesia é um leva e traz de sentimentos, nos causa envolvimento, faz “viajar” no tempo e nas idéias, faz sorrir e chorar ao mesmo tempo, nos leva a refletir e quase sempre se encontrar nas palavras, época e versos…

Imagens retiradas do Google

E para deixar um pouco do gosto singular que a poesia nos proporciona, vai um poema de Vinícius de Moraes chamado “A Rosa de Hiroxima”.

A rosa de Hiroxima

Pensem nas crianças

Mudas telepáticas

Pensem nas meninas

Cegas inexatas

Pensem nas mulheres

Rotas alteradas

Pensem nas feridas

Como rosas cálidas

Mas oh não se esqueçam

Da rosa da rosa

Da rosa de Hiroxima

A rosa hereditária

A rosa radioativa

Estúpida e inválida

A rosa com cirrose

A anti-rosa atômica

Sem cor sem perfume

Sem rosa sem nada.

 

Para o Carnaval

Photo: Tumblr

Todo ano é a mesma coisa: você chega, fica aqui três dias e aí vai embora. Volta um ano depois, todo animadinho, querendo me levar para a gandaia. Olha, honestamente, cansei.

Seus amigos, bando de mascarados, defendem você. Dizem que sempre foi assim, festeiro, brincalhão, mas que no fundo é supertradicional, de raízes cristãs, e só quer tornar as pessoas mais felizes.

Para mim? Carnaval, desengano… Você recorre à sua origem popular e incentiva essas fantasias nas pessoas, de que você é o máximo, é pura alegria, mas não passa de entrudo mal-intencionado, um folguedo, que nunca viu um dia de trabalho na vida.

Acha-se a coisa mais linda do mundo e é cafonice pura. Vive desfilando pelas ruas, junto com os bêbados, relembrando o passado. Chega a ser triste.

Carnaval, você tem um chefe gordo e bobalhão que se acha um rei, mas não manda em nada. Nunca teve um relacionamento duradouro. Basta chegar perto de você e temos que agüentar aquelas fotos de mulheres nuas, que são o seu grande orgulho.
Você não tem vergonha, não?

Sei que as pessoas adoram você, Carnaval, mas eu estou cansada dos seus excessos e dessa sua existência improdutiva. Seja menos repetitivo, proponha algo novo. Desde que o conheço, você gosta das mesmas músicas. Gosta de baile. Desculpa, mas estou pulando fora.

Será que essa sua alegria toda não é para esconder alguma profunda tristeza? Será que você canta para não chorar? Tentei, várias vezes, abordar essas questões, e você sempre mudou de assunto. Ora, chega dessa loucura. Reconheça que você se esconde atrás de uma dupla personalidade.

Cada vez mais e mais pessoas ficam incomodadas com essa sua falsa euforia, fique sabendo. Conheço várias que fogem, querendo distância das suas brincadeiras.
Você oprime todo mundo com esse seu deslumbramento excessivo diante das coisas, sabia?

Por exemplo, essa sua mania de camarote. Onde os vips podem suar sem que isso pareça nojento. Onde se pode falar torto sem que seja errado. Todos vestidos de uniforme, senão não entram. Todos doidos para passar a mão na bunda um do outro.
Essa é a sua idéia de curtir a vida?

Menos purpurina, Carnaval. Menos bundas, menos dentes para fora. A vida é linda, mas a “lindeza do lindo mais lindo que há no lindíssimo” é um saco. Um pouco de calma e autocrítica nunca fez mal a ninguém. Tudo muda no mundo – por que você insiste em continuar o mesmo?

A harmonia vem da evolução, não das alegorias. Chegou a hora de rodar a baiana para não atravessar na avenida.

Como será amanhã? Responda quem puder.

Fonte: http://claudia.abril.uol.com.br/materias/2680/?sh=25&cnl=5Fernanda Young

DIA DO FOTÓGRAFO

A fotografia está em toda parte. Revistas, jornais, cartazes, livros, outdoors, videogames e muitas vezes até canais de televisão fazem uso da fotografia. Sem falar nos momentos importantes que não passamos sem tirar fotos como nas festas e quando estamos em férias!

Nem todo o fotógrafo é um profissional do mercado. Muitos artistas são fotógrafos e exibem seus trabalhos nas galerias de arte e nos museus. Sebastião Salgado é um exemplo de artista brasileiro, que trabalha com imagens fotográficas. Ficou famoso por registrar garimpeiros em Serra Pelada.

Já os fotógrafos que trabalham no mercado podem se especializar em fotografar produtos ou modelos. As agências tanto de publicidade quanto de modelos não dispensam um bom profissional!

Photo: Sebastião Salgado

Photo: Sebastião Salgado

Photo: Sebastião Salgado